Blog Top Sites

Pesquisar este blog

google.com, pub-0465069744057450, DIRECT, f08c47fec0942fa0google.com, pub-0465069744057450, DIRECT, f08c47fec0942fa0
Mostrando postagens com marcador BAR e RESTAURANTES. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador BAR e RESTAURANTES. Mostrar todas as postagens

sábado, 13 de janeiro de 2018

Cartão de Crédito Virtual

-->

Cartão de Crédito Virtual – o que é e como funciona?

 

 

Hoje em dia, há cada vez mais pessoas a fazer compras na internet, devido a facilidade de comparação de preços bem como o processo de encomenda. Contudo, um dos maiores entraves é o modo de pagamento, pois muitos consumidores não têm cartão de crédito ou têm alguma desconfiança em utilizá-lo para pagar compras online. Foi para contornar estas situações que surgiram cartões de crédito virtuais/temporários.
Apesar de ser cartões virtuais, servem para movimentar dinheiro real para pagar compras online, da mesma forma que cartões de crédito de plástico. Estes cartões podem ser utilizados para transações nacionais ou internacionais, desde que já seja utilizador do serviço MB Net, aplicação onde vai poder gerar os seus cartões temporários.
O MB Net é um sistema desenvolvido pela SIBS juntamente com as instituições bancárias de Portugal e que permite pagar compras na internet com segurança, através da criação de cartões de crédito temporários com os dados necessários para o efeito.
Qualquer titular de um cartão de crédito ou cartão de débito emitido por uma instituição financeira pertencente ao sistema MB Net, pode solicitar a emissão de cartões de crédito virtuais associados à sua conta bancária, bastando aderir ao serviço através do homebanking ou de uma caixa multibanco.
Ao solicitar um cartão de crédito virtual, não vai receber um cartão físico de plástico. Em vez disso, o seu banco irá facultar-lhe alguns dados, como número do cartão, a data de validade, o código de segurança bem como o valor limite a gastar nas compras online.
Alguns emissores podem fornecer uma imagem virtual de um cartão numa página web ou num e-mail, a qual destina-se ao uso imediato, e outros podem fornecer-lhe um cartão de referência. Isso significa que um cartão de crédito virtual não pode ser usado em máquinas multibanco.
Os cartões de crédito virtuais têm o mesmo nível de segurança e protecção do que os cartões de crédito normais.
Este tipo de cartão é ideal para as pessoas que querem manter separado os gastos online dos gastos efetuados com recurso ao cartão de crédito normal ou cartão de débito.
Vantagens
– Não é necessário possuir um cartão de crédito real, para fazer compras com o cartão de crédito virtual;
– Impõe um limite para o valor que pode ser gasto com o cartão temporário;
– Impede utilizações futuras impróprias caso haja alguma falha de segurança, pelo facto de poder gerar um cartão para cada pagamento.
------------- ----------------------------------------------- ----------------------------------------------------------------------------------------- google.com, pub-0465069744057450, DIRECT, f08c47fec0942fa0

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

COMO SE PRONUNCIAM ESTAS 30 MARCAS FAMOSAS?



-->

-------------



-----------------------------------------------



-----------------------------------------------------------------------------------------
Como se pronunciam estas 30 marcas famosas
O portugues não é idioma fácil e com o jeitinho brasileiro, algumas
letras e palavras acabam ficando ainda mais irreconhecíveis comparando
com a sua origem
E se você é uma das pessoas que já pronunciou Ray Ban ao invés de ray
bem?
Não se preocupe, com certeza você não é o único,
Bom, tirando aquelas palavras inexistentes de sangrar o ouvido como zap
zap, asterístico..ou tá chovendo granito...sempre tem aquele nome
complicado que a gente evita falar sem antes saber como se
pronuncia..principalmente se tratando de logotipos de marcas famosas


Givenchy

-->

Givenchy

Hubert de Givenchy é uma figura legendária. Em 1952, ele abria sua maison em Paris, revolucionando a alta costura. O primeiro designer a apresentar uma coleção prêt-à-porter feminina lançou em 1957 seu primeiro perfume,"Le De". Já no século 21, Liv Tyler é o rosto de "Very Irrésistible Givenchy", um mix da elegância francesa e espontaneidade americana, presente em todas as coleções do estilista.
------------- ----------------------------------------------- -----------------------------------------------------------------------------------------

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

AMOSTRA GRATISNET: Nota Legal (TROQUE SUA NOTA FISCAL POR MEDICAMENTO...

AMOSTRA GRATISNET: Nota Legal (TROQUE SUA NOTA FISCAL POR MEDICAMENTO...: ----------------------------------------------- --------------------------------- --------------------------------------------...




-----------------------------------------------


---------------------------------





------------------------------------------------------


---------------------------------------------------------------------------------
O Programa Nota Legal devolve até 30% do
ICMS e do ISS efetivamente recolhido pelo estabelecimento a seus
consumidores. Ele é um incentivo para que os cidadãos que adquirem
mercadorias ou serviços exijam do estabelecimento comercial o documento
fiscal.








Como funciona a Nota Legal do governo?

 O programa Nota Legal é uma iniciativa das Secretaria da Fazenda de
diversos municípios brasileiros, que procura desestimular a sonegação de
impostos de estabelecimentos por meio de um incentivo material aos
consumidores destes locais.

 Além de beneficiar toda a população, na medida em que todas as pessoas
eventualmente consomem algo, é um grande aliado dos cofres públicos, uma
vez que o controle eficaz da arrecadação de empresas com grande volume
de transações diárias é muito complicado.





segunda-feira, 5 de junho de 2017

ELMA CHIPS

ganhe brindes e amostras gratisnet

EU RECOMENDO !!
 ELMA CHIPS

visualizar



visualizar


http://www.youtube.com/watch?v=DeenSqw_Omc

chips sabores da terra


http://www.youtube.com/watch?v=Wc7WPmpq8S0
A história
Tudo começou no ano de 1974, quando a Elma conheceu o Chips. A empresa americana PepsiCo adquiriu e uniu as empresas American Potato Chips de São Paulo e a Elma Produtos Alimentícios, de Curitiba. Dessa união, nasceu a ELMA CHIPS: a empresa líder do setor de salgadinhos, com uma linha variada de produtos para diferentes tipos de consumidores. Não demorou a marca se tornou conhecida, muito em função de seus produtos e do seu famoso slogan “É impossível Comer Um só”. O primeiro produto de enorme sucesso, Banconzitos (salgadinho de trigo com sabor de bacon), foi introduzido no mercado brasileiro neste mesmo ano.

visualizar


http://www.youtube.com/watch?v=2N2NCJXNK1A
-
Pouco depois, em 1976, a empresa trouxe ao Brasil o salgadinho Cheetos na versão original e o Stiksy (palitinhos de farinha de trigo salgados); seguido pelo inconfundível Cebolitos (1978), salgadinho feito de farinha de milho com um delicioso sabor e tempero da cebola; Fandangos, na versão original sabor milho (1980); os sabores Queijo e Presunto do salgadinho Fandangos (1982); a batata Ruffles em 1986, sua linha de maior sucesso; o Zambinos (salgadinho sabor pizza), que não é mais fabricado; e o Doritos (salgadinho de milho crocante sabor Queijo Nacho), além do Pingo d'Ouro, uma das marcas mais tradicionais da ELMA CHIPS.-
-Em 1999 a empresa assumiu uma responsabilidade pensando na saúde de seus consumidores: toda a linha de produtos da marca não continha Gordura Trans. Em 2004, com uma campanha de lançamento de R$ 20 milhões, o maior da história da ELMA CHIPS no país, introduziu a linha Sensações, salgadinhos de batata mais fina e condimentada feitos para agradar o paladar dos adultos. Dois anos depois, introduziu no mercado a ELMA CHIPS STAX, um salgadinho de batata acondicionado em um tubo plástico super prático, permitindo o consumo em casa, na rua, ou em qualquer outro lugar. Esse produto foi lançado para concorrer com as famosas batatas Pringles.-
-
Ainda neste mesmo ano a empresa introduziu uma linha de salgadinhos direcionados para um público adulto: OPA! O Petisco Autêntico. Sempre muito saborosos, sequinhos e crocantes, a linha trazia o pastelzinho Agito nos sabores Filé Aperitivo, Cebola, Queijo, Presunto e Pizza, além da deliciosa linha de amendoim Manix nas versões sem pele, mix e ovinhos de amendoim. Outro lançamento foi a linha de batata palha ELMA CHIPS Na Mesa composta por três sabores: Tradicional, Salsinha e Cebola e Toque de Pimenta, prontas para usar, temperada e salgada uniformemente, cortada na espessura certa, deixando as fatias fininhas e crocantes.-

-
Recentemente, em 2007, tendo como público alvo as crianças, que também se identificam com o conceito de diversão e de criatividade da marca, a ELMA CHIPS, sempre trazendo deliciosas e irresistíveis novidades, ingressou na categoria de biscoitos doces com a introdução no mercado do Fandoce (salgadinho assado feito a base de milho e arroz), apresentado em dois deliciosos sabores: Fandoce Chocolate (crocantes estrelinhas de chocolate) e o surpreendente Fandoce Churros com Doce de Leite (mini churros crocantes cobertos com açúcar e canela, que vêm com um sachê de doce de leite). Outra novidade é a linha Sensações Fit, um produto com 70% menos Gordura Saturada e 25% menos Sódio, que não apresenta conservantes ou corantes. Elaborados pensando no paladar do consumidor adulto, os sabores são suaves e autênticos: Toque de azeite de Oliva e Sal e Ervas Finas, e a batata mantém o corte fininho, a textura mais leve e sequinha, além do toque de azeite de oliva característicos da marca Sensações.-
-
ELMA CHIPS traz ainda em seu portifólio de produtos as linhas Sabores da Terra (nos sabores inhame e mandioca, que mantém as características e sabor original das raízes) e Sensações Ao Forno (snack de batata em fatias fininhas, assadas ao forno, crocantes e sequinhas e com 25% menos calorias que os produtos similares do mercado) com uma combinação especial de textura, aromas e sabores autênticos.
-
Dados corporativos
● Origem: Brasil● Fundação: 1974● Fundador: Pepsico.● Sede mundial: São Paulo, Brasil● Proprietário da marca: PepsiCo.● Capital aberto: Não (subsidiária)
● Presidente: Otto Von Sothen● Faturamento: R$ 1 bilhão (estimado)
● Lucro: Não divulgado
● Fábricas: 3● Presença global: Não (somente presente no Brasil)
● Funcionários: 5.000● Segmento: Alimentação● Principais produtos: Salgadinhos● Ícones: Os clássicos salgadinhos Cheetos, Ruffles, Doritos e Baconzitos
● Slogan: É impossível comer um só.● Website: www.elmachips.com.br

-
A marca no BrasilHoje, a ELMA CHIPS faz parte da divisão Frito-Lay, o maior produtor de salgadinhos do mundo, que pertence ao grupo PepsiCo, quinto maior produtor de alimentos e bebidas do mundo, e vende mais de 560 mil pacotes de salgadinhos por dia, contando com market share superior a 75% do mercado brasileiro. A produção, centralizada nas unidades de Itu (SP), Sete Lagoas (MG) e Recife (PE) contando com uma equipe de mais de cinco mil funcionários diretos, é distribuída para as filiais de vendas espalhadas pelo Brasil e daí para mais de 200 mil pontos-de-venda, com ampla presença em supermercados, bares, padarias, mercearias e atacadistas.
-
Você sabia?
● Com 30 anos de mercado, a ELMA CHIPS é líder absoluta em sua categoria, oferecendo o mais variado portfólio de snacks salgados.

Novidades

[ELMA+CHIPS+LOGO.jpg]

KIBON

ganhe brindes e amostras gratisnet
http://amostragratisnet.blogspot.com

EU RECOMENDO !!
[kibon+logo.jpg]

visualizar



A história
A história da KIBON começou na década de 30 na cidade de Xangai na China tendo origem em uma empresa criada por um empreendedor norte americano chamado Ulysses Harkson. Saboroso desde o início, o negócio acabou por se tornar lucrativo já nos anos 40, mas com a ameaça da Segunda Guerra Mundial, e conseqüentemente a tensão entre Japão e China, foi inevitável a transferência da filial para fora da área de conflito. Que sorte a do Brasil, que acolheu a nova empresa na cidade do Rio de Janeiro em 1941, fundada por John Kent Lutey, que trabalhava para a fábrica de sorvetes na China, com o nome de U.S. Harkson do Brasil. Antigas instalações alugadas da falida fábrica de sorvetes Gato Preto, aos pés do Morro da Mangueira, foram reformadas para abrigar as atividades da empresa, que colocou os primeiros 50 carrinhos de sorvete, já nas cores amarela e azul, nas ruas da “Cidada Maravilhosa” no ano de 1942. Mesmo nesta época de guerra as dificuldades foram superadas e a empresa adotou uma denominação “fantasia” para identificar seus produtos - Sorvex Kibon. A palavra SORVEX foi adicionada ao como forma de impressionar o consumidor, dando um ar futurista à sobremesa. Ainda neste ano, no verão, iniciou-se a produção de dois sorvetes que seriam os campeões de venda da empresa, atravessando décadas até os dias de hoje: Eskibon (um protótipo que contrariava todos os modelos até então conhecidos de sorvete: não era picolé, pois não tinha palito; e também não era servido em taças ou casquinhas. A camada de chocolate que o envolvia obrigava o respeitável público a mordê-lo para chegar ao “recheio”, o sorvete propriamente dito) e o picolé Chicabon, na época, ambos ecritos com hífen.
-
-
Durante esta década, a família cresceu. Surgiram os primeiros tijolos de sorvete, em sabores clássicos como morango e chocolate, e outros genuinamente brasileiros, como coco e castanha de caju. As campanhas publicitárias incluíam extravagâncias como aviões sobrevoando as praias cariocas e lançando picolés de pára-quedas. Antes que a década acabasse, a marca e os produtos KIBON já eram um sucesso. A partir de 1951, o nome KIBON passou a integrar a assinatura da empresa e os picolés ganharam os famosos palitos de madeira. Dois anos depois, a marca foi para a televisão e patrocinou um dos episódios do “Sítio do Pica-pau Amarelo”, de Monteiro Lobato. Com esta participação, também fez história, com seu nome citado no roteiro, inaugurou uma das primeiras experiências de merchandising da televisão brasileira. Em 1955, estreou programa próprio, a Grande Ginkana Kibon, que revelava talentos mirins da dança e da música. Em pouco tempo, a atração se converteria em líder de audiência da TV Record, permanecendo nove anos no ar. Até o fim da década de 50, mais novidades aparecem: sorvete em copinho e em lata, sundae, picolés de frutas tropicais e bolo gelado.
-
-
A empresa ficou nas mãos de Lutey até 1960, quando foi vendida à General Foods, na época um grupo americano que importava café brasileiro. Nesse período, os programas para crianças patrocinados pela marca na televisão eram campeões de audiência. A KIBON já estava no Brasil de norte a sul. Apesar do sorvete famoso, a marca ainda produzia ovos desidratados e congelados para a indústria de alimentos, além de balas (como as coloridas Delicados, amendoim coberto com chocolate e jujubas), chicletes (O PING PONG foi lançado pela empresa em 1945), chocolates (como o Ki-Bamba, Ki-Leite, Ki-Coco, Ki-Passas, Ki-Coisa e Lingote), cereais e sucos em pó. Tudo para depender menos da sazonalidade dos gelados, consumidos mais no verão. Mudar os hábitos de consumo dos brasileiros seria uma longa e constante batalha, que a KIBON começaria a vencer na década seguinte.

-
-
Por várias ocasiões a Kibon realizou promoções, como em 1962, época da Copa do Mundo, com troca de palitos premiados por miniaturas de jogadores. Mesmo em seus primeiros tempos no Rio de Janeiro, a marca já havia produzido uma série especial de picolés - Ki Chute - para venda em estádios de futebol. Com a conclusão da nova fábrica no ano de 1966 era chegada a hora de repensar o visual. Remodelação de embalagens e logotipos e a implementação do conceito do sorvete como alimento nutritivo. A mecanização chegou às fábricas em 1967 com a adoção de máquinas que embalavam os produtos sem contato manual. A propaganda avisava: “Ninguém põe a mão em seu picolé. Embalagem selada”.
-
-
Em 1970, o consumo de sorvete no Brasil estava entre os menores do mundo. Por isso, em 1975, investir na linha doméstica tornou-se palavra de ordem. O aumento de poder aquisitivo da classe média em plena euforia do “milagre econômico” ajudaria a marca a conquistar seus objetivos. O perfil da linha familiar começou a se delinear em 1976, com composições à base de leite e na venda em supermercados das embalagens de dois litros. No ano seguinte, uma falha no fornecimento de folhas-de-flandres – matéria-prima das latas – fez a KIBON adotar o plástico, material que se tornara mais acessível. A mudança impulsionou as vendas naquele ano, com o sucesso da nova embalagem entre as donas-de-casa.
-
-
O trabalho da KIBON em procurar modificar os hábitos de consumo dos brasileiros estava surtindo resultados positivos já no final dos anos 70. Na década seguinte, a linha de sobremesas apresentou novas receitas de doces brasileiros para os picolés. Enquanto isso também foi desenvolvida uma sofisticada versão de sobremesas com inspiração francesa como o tijolo Chandelle. Depois a KIBON acertou em cheio ao lançar o picolé de Tutti-Frutti e o de Brigadeiro em 1982. Foi neste período, em 1984, que surgiu por exemplo o picolé Pimpão, com formato de palhacinho em três sabores.

-
-
Em 1985 a KIBON foi vendida para a Phillip Morris, empresa norte-americana mais conhecida por seus negócios na indústria do fumo, que pagou US$ 6 bilhões por todas as operações da General Foods no mundo. No pacote, a KIBON foi junto. Dois anos depois, a marca ganha o slogan “É gostoso e faz bem”, que a associa ao prazer e à saúde, fortalecendo a imagem do sorvete como alimento. No final desta década, a marca estava presente com sua marca em aproximadamente 40 mil pontos-de-venda em todo o Brasil. A década de 90 chegou com investimentos em tecnologia e em produtos mais sofisticados, voltados para o consumidor adulto. A primeira iniciativa, ainda em 1990, foi o lançamento dos potes Mövenpick, marca suíça de sorvetes finos, em sabores como nozes e framboesa.
-
-
O sorvete tornava-se também questão de estilo de vida – um conceito tão valorizado pelo consumidor moderno quanto sabor e qualidade. Já em 1997, um negócio bilionário leva a Gessy Lever (atual Unilever) para as manchetes dos meios de comunicação com o anúncio da compra da KIBON por US$ 930 milhões. Ao adquirir a KIBON, a Unilever comprou uma marca consolidada. De cada dez picolés ou potes de sorvete vendidos em padarias e supermercados, seis eram da marca na época. Em nenhum outro país do mundo um fabricante de sorvete encontrava tamanha fidelidade no mercado. Sorvetes não eram uma novidade para a nova proprietária da KIBON. Em 1929, o fundador, William Hesketh Lever, comprara na Inglaterra sua primeira fábrica de gelados. Outras viriam – inclusive no Brasil, com a aquisição da Gelato, em 1973.

-
-
Nesta época, com 60% de participação de mercado de sorvetes no país, a empresa resolve relançar antigas marcas da Gelato como em 1998, com um grande e festejado relançamento do Cornetto (que havia sido introduzido originalmente em 1971). Lembra do jingle? Cornetto mio é da Gelato! E no ano de 1999, com o objetivo de fortalecer o segmento de perfil mais sofisticado, a marca Magnum.
-
-
A linha do tempo
1950
● Lançamento do picolé de maracujá.
1964
● Lançamento do KIBONBON, sorvete de coco em caixinha.
1974
● Os tijolos ganham status de sobremesa fina com o lançamento de Charlotte, Kapuccino, e Spumoni.
1978
● Lançamento da linha Doces Brasileiros com os sorvetes Kindim e Kimanjar Branco, que reforçam o conceito do produto como sobremesa.
1979
● A marca investe no público jovem, freqüentador de lanchonetes, com os picolés Banana Ki-Split, Milk-Shake e Sundae.
1982
● Lançamento da linha de embalagens decoradas. Eram seis latas pintadas com motivos art nouveau. O grande sucesso leva a uma nova coleção, com 12 latas assinadas pelo artista plástico Aldemir Martins.
1984
● A KIBON lança novos acompanhamentos para sorvete. A linha, que já atendia a lanchonetes e sorveterias, ganha embalagens menores para consumo doméstico. Ela inclui coberturas, complementos (marshmellow e castanha de caju) e xaropes para milkshakes.
1987
● O clássico Eskibon sai de linha quando os equipamentos que o produzem, obsoletos, são aposentados. O sorvete voltaria no ano seguinte, graças a máquinas mais modernas, com o slogan “Algumas coisas são realmente insubstituíveis. Eskibon só tem um”.
1989
● Lançamento da nova linha Frutilly, picolés de frutas recheados com creme, dirigida ao público infantil.
1990
● Lançamento da linha Diet Form, para consumidores preocupados com a manutenção do peso.
1991
● Os picolés de fruta passam a integrar a família Fruttare, e a assinatura Suco de Fruta no palito é aposentada. Uma nova campanha destaca os sabores da linha, com atenção para Limão, que tem o melhor desempenho na categoria.
2000
● O verão chega com lançamentos infantis, como os picolés Eureka, Cérebro, Big Stick, Risque e Rabisque e a linha Zooado.
● O sorvete Cornetto estréia novos sabores e versões em copinho.
2002
● A KIBON inova o segmento de sorvetes em máquina com o lançamento do Cornetto Kibon Express. O equipamento, desenvolvido especialmente pela empresa, permitia ao consumidor montar seu Cornetto na hora, em shopping centers e cadeias de lanchonetes.
2003
● A KIBON introduz no Brasil a linha de sorvetes Carte d'Or, com sobremesas mais sofisticadas.
● No fim do ano, em parceria, KIBON e Bauducco lançam KIBON Chocottone, panetone com gotas de chocolate, recheado com sorvete Chicabon.
2004
● Lançamento de Cornetto Aphrodiziac, uma edição limitada com três sabores, cada um representando uma etapa da paquera.
● Lançamento do KIBON Ades, sorvete com os mesmos sabores e valores nutricionais da bebida à base de soja da Unilever.
● Inspirada em desenhos animados de grande audiência entre as crianças, a linha infantil traz novidades como os picolés KIBON Bob Esponja Patrick e KIBON Yu-Gi-Oh!, este último com plastito – palito de plástico flexível – na inovadora cor preta.
2005
● A KIBON se une à Adams e lança o picolé KIBON Bubbaloo, o primeiro sorvete com o sabor original do chiclete.
● Lançamento do Chicabonzinho, versão menor do tradicional Chicabon, para o público infantil.
2006
● Lançamento do KIBON Cornetto em barra: estréia da linha em formato diferente do Cone.
● Lançamento de KIBON Sorvete de Chocolate em versão light para sorveterias, primeiro da categoria. Sem açúcar, ele contém 63% menos calorias e 73% menos gordura que o tradicional.
● A KIBON elimina a gordura trans – gordura vegetal hidrogenada que aumenta o risco de infarto, derrame e diabetes – de todos os seus produtos.
2007
● Lançamento do KIBON Napolitano em picolé, em edição limitada de inverno. O sabor, um dos mais vendidos entre os potes de 2 litros, chega para segurar a tendência de queda no consumo de sorvetes no inverno.
● Lançamento do KIBON Leite Condensado, em edição limitada.
● Lançamento do KIBON Refresh, picolés nos sabores Lima-Limão, Groselha e Laranja, nas regiões Norte e Nordeste do Brasil, com preço mais acessível.
● Lançamento da edição limitada KIBON FIESTA, oferecendo potes de 2 litros em duas variantes, com três sabores cada: Brigadeiro, Beijinho & Brigadeiro de Morango e KIBON 3 Chocolates (meio amargo, branco e ao leite).
● Primeira empresa do mercado a lançar sorvetes com 70% leite na formulação. Para se ter uma idéia, duas bolas de sorvete (60gr cada) possuem a mesma quantidade de cálcio que um copo de leite – ou seja, 20% da necessidade diária que deve ser ingerida em uma dieta equilibrada. Napolitano, Creme e Flocos – foram os três primeiros carros-chefe da linha a contar com essa formulação. No ano seguinte foi a vez dos sabores Morango, Carioca, Coco e Abacaxi, Passas ao Rum e Chocolate.
● Lançamento, em dezembro, do picolé GUARANÁ ANTARCTICA, em associação com a Ambev. O produto surpreendeu vendendo 4.5 milhões de unidades em apenas um mês.
2008
● Lançamento, em parceria com a Kraft Foods, da versão em sorvete 2L dos bombons Sonho de Valsa e Ouro Branco.
2009
● Lançamento da linha “Sabores do Coração” com o relançamento do sabor Milho Verde – sucesso no verão – e o lançamento do sabor Amendoim, além de mais uma autoridade em prazer, Magnum Branco, a quinta versão da linha no país.
-
-
A grande estrela
A grande estrela dentre os inúmeros sorvetes da KIBON é o picolé CHICABON, lançado no mercado em 1942, com uma receita exclusiva de chocolate, malte e leite. O nome que se tornou sinônimo de picolé de chocolate é homenagem a uma mulata bonita que se chamava Francisca. Pela semelhança da cor do chocolate e da pele de Chica (apelido da deslumbrante mulata), o picolé acabou sendo batizado.
-
-
Em 2007, para comemorar os 65 anos do picolé CHICABON, a KIBON investiu R$ 1.5 milhões em ações de aniversário que incluíram embalagens comemorativas (em estilo vintage que explorava os elementos das principais embalagens das seis décadas de história do produto), novo formato de sorvete e uma promoção cheia de desafios e prêmios. Outra novidade para a data foi o lançamento do MINI CHICABON que consistia em uma caixa recheada de mini-bombons de sorvete CHICABON cobertos por chocolate ao leite. Com o lançamento do MINI CHICABON a linha passa a contar com picolé, pote 2 litros, embalagem multipack (com 5 picolés para consumo em casa) e milk shake (introduzido no ano de 2007, em parceria com a rede de lanchonete Bob’s). Na imagem abaixo é possível acompanhar a evolução do logotipo e das embalagens do produto ao longo dos anos.
-
-
A evolução visual
Em 2000, a KIBON apresenta oficialmente um novo logotipo (criado um ano antes): um coração de contorno vermelho, que passa a identificar a marca nos pontos-de-venda, estabelecendo uma relação afetiva com os consumidores por meio deste símbolo universal. Foi uma grande ousadia mudar a tradição do famoso K (como logotipo) no Brasil para o coração. A mudança foi gradual. Pouco tempo depois o logotipo sofreu pequenas mudanças passando a ser impresso em cima de um fundo vermelho. O coração da KIBON aqui é o mesmo coração de outras marcas da Unilever no mundo. É uma Powerbrand: você vê o símbolo e, em qualquer lugar do mundo, associa ao produto.
-
-
Dados corporativos
● Origem: Brasil
● Fundação: 1941
● Fundador: John Kent Lutey
● Sede: São Paulo
● Proprietário da marca: Unilever
● Capital aberto: Não
● Presidente: Vinicius Prianti (Unilever)
● Faturamento: RS$ 1.1 bilhões (estimado)
● Lucro: Não divulgado
● Fábricas: 2
● Presença global: Não (presente somente no Brasil)
● Maiores mercados: Rio de Janeiro, São Paulo e Nordeste
● Funcionários: 1.500
● Segmento: Comidas
● Principais produtos: Sorvetes
● Ícones: O sorvete Chicabon
● Slogan: Isso sim é diversão.
● Website: www.kibon.com.br
-
A marca no Brasil
Atualmente, a KIBON possui unidades fabris no interior de São Paulo (Valinhos) e Recife, vendendo seus produtos em todos os estados brasileiros. A empresa possui 60% de participação de mercado no segmento impulso (picolés) e 51% em Take Home (potes). No geral, a preferência dos consumidores pelos produtos KIBON reflete a liderança significativa da marca, que tem 54,7% de participação no mercado de sorvetes (AC Nielsen jul/2008).
-
Você sabia?
● Apesar da KIBON estar presente somente no Brasil, a Unilever, proprietária da marca, comercializa os produtos da Marca do Coração em mais de 40 países. A Marca do Coração opera sob nomes diferentes em mercados diferentes (Wall's no Reino Unido e na maior parte da Ásia, Algida na Itália, Langnese na Alemanha, Kibon no Brasil e Ola na Holanda).
-
-
As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Veja, Isto é, Exame, Época, Isto é Dinheiro), sites especializados em Marketing e Branding e Wikipedia (informações devidamente checadas).

-

Suco Pronto Palmeiron

http://amostragratisnet.blogspot.com

EU RECOMENDO !!

Suco Pronto Palmeiron
Embalagens 200ml e 1L
http://www.calmonrepresentacoes.com.br/default.asp

Agora voc� encontra a qualidade Palmeiron nos sabores goiaba, uva, manga, maracuj�, caju e p�ssego. Tem sabor natural das frutas e � nutritivo, rico em vitaminas e muito refrescante. S�o ado�ados naturalmente e processados atrav�s de tecnologia de �ltima gera��o. Prontinhos para serem consumidos a qualquer hora e em qualquer lugar. E com a garantia da Palmeiron, que todo mundo conhece. Suco Pronto Palmeiron Sabor Caj�

FERREIRO ROCHER





ganhe brindes e amostras gratisnet

EU RECOMENDO !! FERREIRO ROCHER

HISTÓRICO
   A Ferrero está presente no Brasil desde 1994, quando introduziu no mercado o Kinder Ovo. No início eram apenas dez funcionários, todos com um objetivo em comum: desenvolver e expandir a empresa. 

visualizar



visualizar


http://www.youtube.com/watch?v=ORoPeypxUvY&feature=related

   Com a imensa receptividade brasileira, a empresa foi crescendo e agregando mais produtos a sua linha. Em 1995 vieram Ferrero Rocher, Tic Tac e Kinder Bueno. Em julho de 1997 a Ferrero iniciou sua produção no Brasil, em Poços de Caldas, que atende o mercado interno e os países: Alemanha, Argentina, 
Canadá, México, França, Itália, Equador, Rússia e Estados Unidos.

   Atualmente, sua linha de produtos no Brasil é composta por: Ferrero Rocher, Nutella, Kinder Ovo, Kinder Bueno, Kinder Chocolate, Tic Tac e Ferrero Deluxe.
história
A famosa e tradicional fábrica de chocolate italiana nasceu do sonho do confeiteiro Pietro Ferrero em produzir chocolates de alta qualidade para ocasiões especiais. A empresa começou a produzir chocolates e bolos em 1946 na pequena cidade de Alba, distribuindo seus produtos em pequenas lojas locais e outros estabelecimentos. Um dos primeiros produtos da FERRERO fez um enorme sucesso no mercado: uma pasta composta por cacau e avelãs chamada Pasta Gianduja, ideal para ser passado no pão, no café da manhã, fornecendo sabor e energia para começar bem o dia a dia, que depois viria a se chamar NUTELLA na década de 60. A criação desse doce caseiro foi por necessidade: devido à falta de cacau, base para a produção de chocolate, em virtude da Segunda Guerra Mundial, Pietro, com a ajuda de sua mulher Piera, como forma de minimizar essa escassez de cacau, misturou cacau torrado, avelã, leite, açúcar e óleo vegetal, criando uma pasta econômica, cremosa e com alto teor nutricional para substituir o chocolate, que na época havia se tornado um produto de luxo.

visualizar



-
Desde o início o sucesso da empresa sempre esteve baseado em três virtudes: matéria prima de ótima qualidade, modernos métodos de fabricação e um eficiente sistema de distribuição para que o produto chegue às mãos do consumidor sempre fresco. Já em 1948, a empresa montou sua própria estrutura de distribuição, que através de 200 vans entregavam seus produtos aos comerciantes. Os veículos também funcionavam como instrumentos de divulgação e propaganda da marca. Pietro e seu irmão, Giovanni (que desempenhava um papel importantíssimo criando uma rede de vendas abrangendo toda a península da Itália), estiveram ao comando da empresa até a década de 50, quando, sua filha, Michelle, e sua mãe, Piera Cillario, assumiram o controle da FERRERO ROCHER. Com as mulheres no comando a empresa cresceu rapidamente utilizando estratégias inovadoras de marketing, lançamentos de produtos únicos e inovações na produção.
--
Em 1956, a FERRERO inaugurou sua primeira subsidiária internacional na Alemanha, iniciando assim a expansão no mercado europeu. Dois anos mais tarde a França ganhava novas instalações da empresa italiana. Nesta época a empresa iniciou a diversificação de sua linha de produto com o lançamento, em 1959, do Mon Chéri, um delicioso bombom recheado com licor de cereja que se tornaria um verdadeiro sucesso na Europa. Nas décadas de 60 e 70, a empresa resolveu centrar seu foco na expansão internacional, abrindo subsidiárias, pontos de vendas e escritórios de representação em vários países do mundo. No final da década de 60 a empresa já possuía subsidiárias na Holanda, Bélgica, Reino Unido, Áustria, Suécia, Suíça e Dinamarca. -
-
Em 1968 a empresa lança o primeiro produto sob a marca KINDER chamado Kinder Cioccolato, um chocolate direcionado ao público infantil em formato de deliciosas barrinhas, gostosas, nutritivas e recheadas com leite. Foi também neste mesmo ano que outro produto de sucesso surgiu: o bombom de café chamado Pocket Coffee. A primeira subsidiária fora do mercado europeu foi a FERRERO USA, que iniciou suas atividades em 1969, introduzindo no mercado americano a marca TIC TAC, uma pastilha feita com 60 camadas de ingredientes, o que faz com que seu sabor mude progressivamente à medida em que vai se dissolvendo, doce por fora e refrescante por dentro, inicialmente vendida no sabor de menta. -
-
A menina dos olhos da FERRERO ROCHER foi e continua sendo o KINDER SORPRESA (conhecido no Brasil como KINDER OVO), lançado em 1975. Os ovos são recheados com cápsulas de plástico que guardam pequenos brinquedos desmontados. No ano seguinte a empresa introduziu mais uma novidade: Kinder Bueno, um chocolate leve, nutritivo, com recheio de leite e avelãs. No ano de 1982 é introduzido no mercado o produto de maior sucesso da empresa, os bombons FERRERO ROCHER, formado por uma avelã inteira, imersa em um recheio cremoso e envolvido por uma delicada concha de wafer crocante, coberto de chocolate salpicado de pedacinhos avelã, embrulhado em sua característica embalagem dourada. -
-
Na década de 90, a empresa estabeleceu-se oficialmente no Brasil introduzindo o produto Kinder Ovo em 1994, revolucionando o mercado de chocolates infantis. Pouco depois, em 1997, inaugurou uma moderna fábrica no país. Atualmente a linha de produtos no Brasil é composta por: Ferrero Rocher, Ferrero Deluxe, Kinder Chocolate, Kinder Bueno, Kinder Ovo, Nutella e Tic Tac. Nos anos seguintes a FERRERO introduziu vários novos produtos como em 1998, quando lançou o refinado RAFFAELLO, um bombom sem chocolate que combina o sabor delicado das melhores amêndoas com o sabor exótico do coco, encantando os paladares mais sofisticados; barras de cereais KINDER, embalagens sofisticadas para presentes com bombons da linha FERRERO ROCHER; o chá pronto para beber chamado Estathé, lançado em 2000; as variações FERRERO RENDOIR (o bombom tradicional feito com chocolate amargo), introduzido em 2008, e o Garden Coco (recheado com coco).-
-
Dados corporativos
● Origem: ItáliaNegritoNegrito
● Fundação: 1946
● Fundador:
Peitro Ferrero● Sede mundial: Pino Torinese, Piedmont, Itália● Proprietário da marca: Ferrero SpA● Capital aberto: Não● Chairman: Pietro Ferrero● CEO & Presidente: Giovanni Ferrero● Faturamento: €6 bilhões (estimado)
● Lucro:
Não divulgado● Fábricas: 15● Presença global: 100 países● Presença no Brasil: Sim● Funcionários: 19.600● Segmento: Alimentos● Principais produtos: Chocolates, balas e doces● Ícones: O bombom Ferrero Rocher, a bala Tic Tac e o Kinder Ovo● Concorrentes diretos: Nestlé, Cadbury e Hershey’sNegrito● Slogan: Making Quality Confections A Part Of Everyday Life.● Website: www.ferrero.com
-
A marca no mundo
A FERRERO é a maior indústria de doces e chocolates da Itália e a terceira do mundo, com subsidiárias em 42 países, sendo 19 deles na Europa, comercializando seus produtos com mais de 30 marcas diferentes em 100 países ao redor do mundo. A empresa possui 15 fábricas ao redor do mundo, uma delas localizada no Brasil. A marca KINDER, que segundo a consultoria AC Nielsen, é uma das marcas de chocolate mais forte do mundo, tem vendas anuais acima dos US$ 1 bilhão.
-Você sabia?● A empresa é a trigésima oitava maior anunciante do mundo.


FERRERO NO MUNDO 

visualizar



-

Postagens populares

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

ganhe AMOSTRAGRATISNET